Performance.ensaio: desmontando os clássicos

"É na base desse plano – pensar em ação – que esse livro de Tania Alice se assenta. Esses ensaios nos convidam à potência. Chamam-nos, antes, a sermos potencializadores e não redutores. Um livro que clama de forma assídua a não fazer da cena uma potência que se reduza a representação. Palavras que pedem, encarecidamente, não fazer do ato-processo criativo uma potência que se reduza ao método. Reflexões que fazem do corpo-em-arte na cena uma linha de fuga criativa, alegre – em seu sentido-Espinosa – na sua potência-material de ser afetado e afetar. Portanto pede, quase exige, uma certa “passivatividade” do ser criador. Tania cria, nesses ensaios, uma fresta de recriação conceitual e reflexiva que reata o já sempre atado elo teoria-prática. Gera um território híbrido performance-teatro que, com seus pontos de contato, nos convida ao processo; essa magia do processo que entorna e faz vazar percepções criativas outras em cada grupo e cada processo estudado. Portanto, você, amante da performance, do teatro e da dança: deleite-se!" 

Renato Ferracini

TANIA ALICE é doutora em Letras e Artes pela Universidade de Aix-Marseille, reside no Brasil há 6 anos. Trabalhou por vários anos como escritora, professora universitária da Universidade de Rennes I e II e jornalista cultural na França, onde nasceu. escreveu e dirigiu Um breve retrato da dor (dá pra sentir), inspirado no trabalho de performer Sophie Calle, SerOuNãoSer.com, em codireção com Aldo Marcozzi, dirigiu O amor de Fedra, de Sarah Kane, em codireção com Gilson Motta e atuou em Des vies à jamais e Esperando Godot.

 

 

 

 

Informações adicionais