Autores

ADRIANE GARCIA, nascida em Belo Horizonte, em 1973, é historiadora, arte-educadora e atriz. Escreve poesia, contos, livros infantojuvenis e teatro. Publicou O nome do mundo, em 2014, e Só, com peixes, em 2015. Com Fábulas para adulto perder o sono, venceu o Prêmio de Literatura do Paraná - Helena Kolody, em 2013. Integra o site Escritoras Suicidas.


 ALEX ANDRADE é escritor e arte-educador. Nasceu em 1971, no Rio de Janeiro. Autor de outros três livros: A suspeita da imperfeição, o infantil O pequeno Hamlet e o romance Longe dos olhos.


 ALEX TOMÉ é formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de São Carlos e atualmente cursa Direito. Nasceu em Orlândia e hoje vive em Guaíra, São Paulo. Roteirizou os curta-metragens A cena perfeita e Recortes, este último ganhador  de um Kikito no Festival de Gramado, em 2006. Eu contra o sol é seu primeiro livro.


 ALEXANDRE FURTADO, nascido no Recife, é poeta, crítico e contista. Professor de Literatura na UPE, publicou o livro de poesia De ruas e in-tinerários, em 2010.


 ALEXANDRE GUARNIERI é carioca, nascido em 1974. Historiador da arte e mestre em tecnologia da imagem, começou, a partir de 1993, a participar de eventos de poesia falada no Rio de Janeiro. Publicou seu primeiro livro, Casa das máquinas (Editora da Palavra), em 2011. É um dos editores da revista eletrônica Mallarmargens.


 ALVES DE AQUINO nasceu em 1974, em Mucambo, Ceará. Publicou, em 2008, o Memorial Bárbara de Alencar & outros poemas, antologia do Segundo Movimento do Concerto N. 1nico em Mim Maior para Palavra e Orquestra, cujo Primeiro Movimento foi publicado em 2010.


 AMANDA MACHADO é mineira de Juiz de Fora. Cronista em tempo integral, é graduada em turismo, especialista em cinema, além de leitora voraz de letras e gente. Centopeia de mil pés errados é sua primeira coletânea de crônicas.


ANDREA FERRAZ é pernambucana de Floresta e vive no Recife. Formada em Letras, é aluna, desde 2014, da oficina de criação literária de Raimundo Carrero. Publicou A sutileza do sangue, livro premiado pela Academia Pernambucana de Letras, na categoria ficção.


ÂNGELO MONTEIRO nasceu em Penedo, Alagoas, e radicou-se em Recife na década de 70, onde lecionou Estética e Filosofia da Arte na Universidade Federal de Pernambuco, além de ter tido uma longa atuação na imprensa. Com uma das poéticas mais inquietantes e enigmáticas do Brasil contemporâneo, possui uma obra considerável tanto na poesia como no ensaio. Entre seus livros, destacam-se Proclamação do Verde (1969); Didática da Esfinge  (1971); Caçador de Nuvens (1971); O Rapto das Noites ou o Sol como Medida (1983); Tratado da Lavação da Burra ou Introdução à Transcendência Brasileira (1986); Recitação da Espera (1992). Entre os diversos estudos sobre sua obra, encontra-se o livro Revisitação da Estética Barroca na Poesia Religiosa de Ângelo Monteiro (2010), de Ariadne Quintella. Foi recentemente eleito para Academia Pernambucana de Letras.


 ARJEN DUINKER (Delft, Holanda, 1956) estudou Psicologia e Filosofia. Publicou um romance e onze livros de poesia, alguns deles editados em diversos países. Um de seus poemas especialmente circula o mundo traduzido para mais de duzentas línguas. Em conjunto com o vidreiro Bernard Heesen, Duinker trabalha hoje no dicionário enciclopédico O mundo do soprador de vidro.


ASSIS LIMA é cearense, do Crato. Médico pela Universidade Federal de Pernambuco, especializou-se em psiquiatra, em São Paulo, onde reside. É autor do livro Conto popular e comunidade narrativa (Prêmio Sílvio Romero - Funarte). Organizou a coletânea Contos populares brasileiros - Ceará. É coautor, com Ronaldo Correia de Brito, dos infanto-juvenis Baile do Menino Deus, Bandeira de São João, Arlequim de Carnaval e O pavão misterioso. Publicou os livros de poesia Poemas arcanos, Marco misterioso, Chão e sonho e, pela Confraria do Vento, Terras de aluvião e Poemas de riso e siso.


 BEATRIZ BRENNER nasceu em Maceió (AL). Viajou mundo afora, gopsta de desenhar, viajar, ler, estar com amigos, com a familia, e é claro, escrever. Este é o segundo livro infantil.


BERNARDO ALMEIDA nasceu em Salvador, em 1981, onde atualmente reside. É escritor, jornalista, artista digital, roteirista, cartunista e compositor. Publicou os livros Achados e Perdidos (2005), Crimes Noturnos (2006), LONA (2011), entre outros. Participou de mais de duas dezenas de antologias e coletâneas no Brasil e Europa. Tem poesias traduzidas e publicadas na França e Croácia.


BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS é sociólogo e poeta. Tem livros publicados em diversas línguas, sobre globalização, sociologia do direito, epistemologia, democracia e direitos humanos. Como poeta, publicou, entre outros, O rosto quotidianoEscrita INKZ: antimanifesto para uma arte incapaz e, pela Confraria do Vento, 139 epigramas para sentimentalizar pedrasCrônicas de Acabária e Manifesto antipteridófitas.


BRUNO LIBERAL é economista e escritor. Estreou na literatura com o livro Sobre o tempo. Seu segundo livro, Olho morto amarelo, foi, em 2013, o grande vencedor do I Prêmio Pernambuco de Literatura. Também foi um dos vencedores, com o conto Esse último sorriso, do I Prêmio Internacional de Literatura Cartonera (Cephisa Cartonera - França). Vive em Petrolina, Pernambuco.


CARLA BESSA é tradutora literária e escritora, autora de “Aí eu fiquei sem esse filho” (2017).


 CARLA MIGUELOTE é Professora Adjunta do Departamento de Letras da UNIRIO. Possui graduação em Comunicação Social (UFF), mestrado em Letras (UFF) e doutorado em Literatura Comparada (UFF). Atua também no campo do audiovisual, com trabalhos em documentário e videoarte. Tem pesquisado sobre a relação entre palavra e imagem na arte contemporânea, com diversos trabalhos publicados em anais de congressos, além de alguns ensaios em livros e artigos em revistas especializadas.


 CARLOS FELIPE MOISÉS nasceu em São Paulo, em 1942, e estreou como poeta em 1960, com A poliflauta. Desde o início da carreira, dedicou-se à poesia, à crítica literária e ao ensino de literatura, na Universidade de São Paulo e em outras instituições de ensino superior, no Brasil e nos Estados Unidos. Especializou-se em poesia moderna, tendo publicado relevantes ensaios sobre Fernando Pessoa, João Cabral de Melo Neto, Mário Cesariny, Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes, entre outos. É também tradutor de Sartre, Marshal Berman e Joseph Campbell, e autor de livros infanto-juvenis. Entre seus livros de crítica e teoria poética destacam-se: O poema e as máscaras, Poética da Rebeldia, O desconcerto do mundo e Poesia & utopia. Como poeta, seus títulos mais recentes são Noite nula e Disjecta membra.


CHICO CÉSAR nasceu em Catolé do Rocha, na Paraíba, em 1964. É formado em jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba. Gravou nove discos e se apresentou em diversos países, tornando-se um dos mais destacados músicos e compositores da MPB, com músicas gravadas por artistas como Maria Bethânia, Zeca Baleiro, Gal Costa, entre outros. Como escritor, publicou os livros “Cantáteis” e “Rio sou Francisco”.


CHICO LUDERMIR nasceu em Olinda, em 1989. É jornalista, escritor e artista visual. Integrante dos movimentos Coque Vive/(R)existe e Ocupe Estelita, publicou os livros Senhoras do Coque (2010), Dos Alagados à especulação imobiliária: fragmentos da luta pela terra na comunidade do Coque (2011), Caderno de narrativas da cultura pernambucana (2012) e Guia comum do Centro do Recife (2015). Realizou as exposições Entre (2013) e Mulheres: o nascer é comprido(2015) e os filmes .Zip (2011), Coque: memórias da terra (2012), Despejo (2013) e Acorda (2015). Atualmente é mestrando em Sociologia (PPGS-UFPE).


CIDA PEDROSA nasceu em 1963, em Bodocó, Sertão de Pernambuco. Escritora, advogada, pós-graduada em ciência política, é uma das editoras do site Interpoética. Tem 6 livros de poemas publicados e participa de antologias e coletâneas de poemas e contos no Brasil e no exterior.


CLODIE VASLI nasceu em Osório (RS) e vive, atualmente, em Nottinghan, no Reino Unido. Formou-se em Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Publicou textos em revistas nacionais e internacionais e foi colunista da revista Real e do Jornal Brazilian News, ambos de Londres. Lançou seu primeiro livro, De passagem, em 2013.


CLOVIS WEY é paulista e vive hoje em Recife. Físico pela Universidade de São Paulo, Mestre em Partículas Elementares, foi professor do Departamento de Física Matemática da mesma universidade. Publicou o livro de poesia “Pátina” e os romances “Acidente” e “Tembetá”. O romance “Névoa” recebeu menção honrosa no prêmio Graciliano Ramos, da União Brasileira de Escritores - Academia Brasileira de Letras.


DÉRCIO BRAÚNA nasceu em Limoeiro do Norte, Ceará, em 1979. É mestre em História Social pela Universidade Federal do Ceará. Publicou os livros de poesia O pensador do jardim dos ossosA selvagem língua do coração das coisasMetal sem húmus, além de livros de contos e teóricos abordando as relações entre história e literatura africana.


DIEGO GRANDO nasceu em Porto Alegre, em 1981. Publicou os livros "Desencantado carrossel", "Sétima do singular" e o in-fólio "25 Rua do Templo / Palavra Paris". Faz parte do elenco do Sarau Elétrico, tradicional evento de literatura que acontece em Porto Alegre. "Spoilers" foi desenvolvido como parte de sua tese de doutorado em Letras, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.


ESDRAS BEZERRA nasceu no Recife. Tendo cursado contabilidade e letras, atua na elaboração de textos para projetos e peças artísticas de diversos gêneros. Redator, ensaísta e roteirista, desenvolve trabalhos para o cinema e televisão. "Dias infanto" já participou de editais para desenvolvimento de obra literária e pesquisa em seu processo intercalado de 16 anos de construção.


 E. M. DE MELO E CASTRO, nascido a 19 de abril de 1932, na Covilhã, foi um dos iniciadores da poesia concreta em Portugal. A sua prática poética tem sido acompanhada por uma teorização sistemática sobre a linguagem e sobre as tecnologias da comunicação. Sua produção bibliográfica, que se estende por mais de cinquenta livros de poemas, prosa e ensaios, tematizou a tecnopoiesis, a cibercultura e a infopoesia e outras linguagens ainda pouco exploradas até então. Além disso, na sua obra cruzam-se múltiplas práticas, que vão da performance corporal e vocal ao poema tridimensional ou em novas mídias. A sua consciência da mediação técnica da era eletrônica refletiu-se num conjunto de obras pioneiras no uso do vídeo e do computador na produção literária.


EVERARDO NORÕES nasceu no Crato, Ceará. Além de poeta, com poemas traduzidos para diversas línguas, é cronista e tradutor, tendo organizado antologias de poesia peruana, além das obras de Joaquim Cardozo, do poeta mexicano Carlos Pellicer, do poeta italiano Emilio Coco e de poetas franceses contemporâneos. Autor de uma dezena de livros, entre eles Miguel Torga e o dicionário da terra (2007), Retábulo de Jerônimo Bosch  (2008), W.B. & os dez caminhos da cruz (2012) e O fabricante de histórias (2012), consta em diversas antologias nacionais e internacionais, entre elas, a edição nº10 da Revista Granta, onde o conto "Na varanda, sobre o bulevar", presente neste livro, foi originalmente publicado.


FABIANO COSTA COELHO é escritor e contador de histórias. Pernambucano radicado no Rio de Janeiro, é mestre em economia pela USP e servidor do Banco Central. Publicou, em 2015, o épico moderno O lume e o agreste, pela Confraria do Vento.


FERNANDO MONTEIRO é poeta, romancista, cineasta e crítico de arte. Como escritor, conquistou o primeiro Prêmio BRAVO! de Literatura, em 1998, o Prêmio Nacional da UBE-RJ, em 1984, e o prêmio Othon Bezerra de Melo da Academia Pernambucana de Letras, em 1975. Alguns de seus curtas-metragens representaram o Brasil em festivais internacionais como Guadalajara, Varsóvia, entre outros. Como crítico de arte, foi o apresentador da grande exposição retrospectiva da obra de Francisco Brennand em Berlim, em 1993. Contos estrangeiros de Fernando Monteiro é o seu segundo livro de contos, depois de Armada América, que foi finalista do Prêmio Portugal Telecom 2004.


FERNANDO ROCHA é paulistano, nascido em 1981, graduado em Letras. Este é o seu primeiro livro de contos.


GERALDO MAIA nasceu no Recife, em 1959. Formado em Ciências Sociais (UFPE), é cantor e compositor, com 11 discos lançados e diversas parcerias com grandes artistas da música brasileira. Breu é seu primeiro livro.


GIBA CARVALHEIRA nasceu em Recife. É Jornalista diplomado e Pós-Graduado em Jornalismo Cultural pela Universidade Católica de Pernambuco. Músico, compositor e escritor, publicou Universo Submerso e A maldição de Tourette.


GISELA MARTINS WAETGE (1955-2015) nasceu em 1955 na cidade de São Paulo, onde completou o  curso de arquitetura e em 1980 se mudou para Porto Alegre, onde vive até hoje. Participou da XXI Bienal de São Paulo (1991) e das I e V Bienais de Artes Visuais do Mercosul em Porto Alegre (1997 e 2005), entre outras exposições. Possui obras nas coleções da Fundação Vera Chaves Barcellos, no Museu de Artes do Rio Grande do Sul, no Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, Pinacoteca Rubem Berta e Aldo Locatelli de Porto Alegre, entre outras. No final de 2012 fez a exposição "Base 12- Base9" no Museu do Trabalho, em Porto Alegre, onde expôs parte dos desenhos contidos neste livro.


GUSTAVO FECHUS nasceu em Pouso Alegre, Minas Gerais, em 1989. Professor de Literatura Portuguesa, conquistou, para a escrita de Óleo sobre tela, o Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura (categoria jovem escritor), em 2013, e a Bolsa de Criação Literária Biblioteca Nacional, em 2014.


HELENO COSTA (1924-2004), funcionário público, boêmio e escritor, pelas ruas e bares de Recife, observou e celebrou as pessoas, a vida, nos deixando manuscritos os versos desse livro.


 HENRIQUE KOMATSU nasceu em São Paulo, em 1982, na cidade de Pereira Barreto, e cresceu em Curitiba, onde estudou Filosofia, na Universidade Federal do Paraná. Publicou o romance A igreja de pedra e, pela Confraria do Vento, o infantojuvenil A menina que viu Deus (2016).


HILAN BENSUSAN pesquisa e ensina sobre singularidades, buracos estreitos entre os conceitos, palavras e aturdimento no Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília. Publicou, entre outros, Excessos e Exceções (2008), Breviário de Pornografia Esquizotrans (2010) e Heráclito - Exercícios de Anarqueologia (2012), desenvolvendo obras híbridas entre a prosa, a poesia e a filosofia.


HILDA SIMÕES LOPES é socióloga, profa. universitária, pesquisadora da área social. Além de livros de sociologia tem publicados cinco livros de poesia e prosa. Ganhou o Prêmio Açorianos de melhor romance publicado no Rio Grande do Sul em 1998 com A Superfície das Águas, e em 2000 foi finalista deste Prêmio na categoria crônicas com o livro Cuba: Casa de Boleros. Vive em Porto Alegre.


ÍCARO TENÓRIO é poeta, cantor, compositor, ator e escritor, nascido em Arcoverde. Montou, em 2009, o espetáculo de teatro e poesia Sarau do Esquisito, em parceria com Glauber Amaral e Luna Vitrolira. Em 2010, foi vencedor do Festival de arte da UFPE na categoria literatura-poesia. Dividiu palco com artistas como Clayton Barros, Marcelo Jeneci, Almério, Rafael Waladares, entre outros. Teve sua canção Quem, uma parceria com Jonnata Doll e Biagio Pecorelli, gravada com violões de Dado Villa Lobos. Produziu o curta Eu sonho pra você ver, com direção de Fabio Assunção e codireção de Pally Siqueira. Foi homenageado, na Câmara de Vereadores de Arcoverde e na MostraPE, pelos serviços prestados à cultura pernambucana.


ILNAH CAMPIELLO VARELLA ASFORA nasceu em Natal, em 1923. Nos anos 40, mudou­se para Recife, onde estudou odontologia e direito. O livro Memorial Campiello, escrito em 1965 e dedicado a Luís da Câmara Cascudo, é seu único livro publicado. Faleceu em 8 de março de 2014, aos 91 anos.


INÁCIO FRANÇA é jornalista e gestor de Comunicação. Como repórter, escreveu para o Diário Popular, o Diário de Pernambuco e ganhou o prêmio Vladimir Herzog de Jornalismo e Direitos Humanos. Publicou Trilogia das cores, de crônicas de futebol, e os livros de registros de história oral Um rio de gente e O rio que não passa


IZABELA DOMIGUES é Mestre em Comunicação Social pela Universidade Federal de Pernambuco. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Publicidade nas Novas Mídias e Narrativas do Consumo (UFPE/CNPq). Professora de Publicidade e Propaganda na Universidade Católica de Pernambuco e nas Faculdades Integradas Barros Melo, onde coordena o curso de Publicidade e Propaganda e o Grupo de Estudos do Consumo. Publicitária com mais de 20 anos de experiência com marcas nacionais e internacionais, atua como consultora para agências e anunciantes.


 FLÁVIA ROCHA nasceu em São Paulo e atualmente vive entre Brasil e Estados Unidos. Mestre em Writing/Poetry pela Columbia University, foi editora da revista literária americana Rattapallax. É cofundadora da Academia Internacional de Cinema. Publicou anteriormente A casa azul ao meiodia (2005) e Quartos habitáveis (2011).


JANILTO ANDRADE é doutor em Estética e Poética pela UFPE e professor titular de Literatura Brasileira e de História das Artes na UNICAP-PE. É membro da Comissão de Vestibular e Coordenador do Curso de Especialização em Literatura Brasileira da UNICAP-PE. Publicou os livros Da Beleza à Poética (Imago), Literatulogia (Atelier), Por que não Ler Paulo Coelho (Calibán), Erotismo em João Cabral (Calibán), Quando o Verde não é Poético (Bagaço).


JOÃO URBAN é especialista em fotografia documental, com oito livros publicados. Realizou exposições individuais no Museu Oscar Niemeyer, na Maison de La Photographie, na França, e no China Pingyao International Photography Festival, além de expor seu trabalho na Bienal Internacional de São Paulo e na Bienal de Havana. Em 2012, ganhou o prêmio Marc Ferrez de Fotografia da Funarte com um extenso trabalho com duração de mais de 20 anos, em que o fotógrafo retratou as imigrações polonesa e ucraniana no Paraná.


 JOSÉ CARLOS MORENO é escritor, roteirista, educador e tradutor. É especialista em Estudos Linguísticos e Literários pela Fundação São José (Itaperuna - RJ), em Língua Inglesa pela Universidade Gama Filho, em parceria com a Bridge BCELT dos Estados Unidos, e em Roteiro de Cinema e TV pela Universidade Veiga de Almeida. “Uma história do ódio” é seu primeiro romance.


 JULIANO CARAVELA é poeta, compositor e educador. Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, é professor em instituições de ensino superior de Arte, Design e Comunicação em São Paulo. Idealizador do projeto “Dia a dia: uma questão de poesia”, é um dos curadores da Quinta Poética da Casa das Rosas. Samadhi - vértebras em que versos correm é seu primeiro livro.


KÁTIA BANDEIRA DE MELLO GERLACH, escritora e artista visual, com formação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade de Londres e a NYU School of Law, é natural do Rio de Janeiro e residente da cidade de Nova Iorque desde 1998. Escreve no Jornal Rascunho e é colunista e editora da Revista Philos. Publicou os livros de contos Jogos Ben(ditos) e Folias Mal(ditas) (2016), Forrageiras de Jade (2009) e Forasteiros (2013).


 LÉLIA ALMEIDA é escritora, tradutora e taróloga, autora de livros como Antonia, Senhora Sant’Ana, As mulheres de Bangkok, 50 ml de Cabochard, Querido Arthur e As meninas más na literatura de autoria feminina. Participou de diversas antologias no Rio Grande do Sul e foi a vencedora do Prêmio Açorianos de Literatura de 2013 com o romance O amante alemão. É colunista do Sul 21 e do Wall Street International. Mantém o blog Mujer de Palabras.


 LUCIANA ASSUNÇÃO, eu, Lulupisces, sou jornalista e publicitária, formada pela Universidade de Brasilia (UnB), com pós-graduação em Comunicação com o Mercado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP). Nasci em Brasília em 1971 e não escapei à sina de ser servidora pública federal, desconsolada como Drummond. Pisciana com ascendente em Leão, sou mãe de uma dupla de garotos incríveis. Vivi em Sampa e Nova Iorque. O que sou está nos meus textos. Vamos?


 LUÍS FILIPE SARMENTO nasceu em Lisboa e estudou Filosofia na faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É escritor, jornalista, editor, tradutor e realizador de televisão e vídeo. Alguns dos seus textos encontram-se traduzidos em diversas línguas. Produziu a primeira experiência de Videolivro feita em Portugal, no programa Acontece, para RTP (Radiotelevisão Portuguesa), durante sete anos, assim como para outros programas de televisão. Membro do Internacional P.E.N. Club, da Associação Portuguesa de Escritores. Coordenador Internacional da Organization Mondial de Poétes (1994-1995), membro do Internacional Comite of World Congress of Poets, Presidente da Associação Ibero-Americana de Escritores (1999-2000), tem participado de diversos encontros, festivais e congressos internacionais.


 LUIZ EDMUNDO BOUÇAS COUTINHO nasceu em 1948, no Rio de Janeiro. Realizou em 1989 estudos de pós-doutoramento na Universita Degli Studi Di Roma «La Sapienza», na Itália. Foi professor na Faculdade de Letras da UFRJ, na qual chegou a vice-diretor, e na Universidade Estácio de Sá, além de colaborar com algumas das mais renomadas instituições de ensino e pesquisa no país e no exterior. É um dos principais responsáveis pelos estudos sobre a presença das estéticas finesseculares em terras tropicais, chamando especial atenção para a produção literária influenciada por elas e dialogando com Charles Baudelaire, Gabrielle D'Annunzio, Joris-Karl Huysmans e Oscar Wilde. Organizou e publicou Arte e artifício: manobras de fim-de-século (2002), O labirinto finissecular e as ideias do esteta, com Irineu E. Jones Corrêa (2004), Dândis, estetas e sibaritas, com Latuf Isaias Mucci (2006), Five O' Clock, com Marcus Rogério Tavares Sampaio Salgado (2006), Corpos-letrados, Corpos-viajantes, com Flora De Paoli Faria (2007), Fulgurações: parcerias textuais e o decadentismo, com Latuf Isaias Mucci (2009), e Melhores Crônicas de João do Rio, em colaboração com Fred Góes (2009). Em 2011, recebeu a medalha Minerva de Mérito Acadêmico, honraria outorgada pela UFRJ, pelas contribuições de seu trabalho em defesa da justiça social, da democracia, da cidadania, da paz e da solidariedade entre os povos.


LUIZ FERNANDO DE ARAÚJO BRANDÃO é jornalista e tradutor. Em paralelo à carreira de executivo na área de comunicação empresarial, traduziu para o português obras de autores como Edgar Allan Poe, Jack London, Vladimir Nabokov, Flann O’Brien e Tom Wolfe. Em 1976, diplomou-se instrutor no Yoga Institute, em Mumbai.


 MÁRCIA MEIRA BASTO é pernambucana, vencedora dos Prêmios Literários Cidade do Recife: Desejos & histórias, 1997, e Amar elos Vermelhos, 2004, ambos de contos. Publicou a novela Marion em 1999. Seu livro mais recente é o ensaio Clarice, clarear – o outro de mim em narrativas de Clarice Lispector, lançado em março de 2008.


MÁRCIO-ANDRÉ DE SOUSA HAZ nasceu em 1978 no Rio de Janeiro e vive, desde 2011, em Santiago de Compostela. Com um trabalho que vai da poesia ao pensamento, passando pelo cinema, pela arte digital e pela performance, publicou livros de poesia e ensaios no Brasil e na Espanha, entre eles Intradoxos (2007) e Ensaios Radioativos (2008). Com textos traduzidos para mais de dez idiomas e presente em inúmeras publicações internacionais, foi poeta convidado de festivais no Reino Unido, França, Espanha, Holanda, Portugal, Ucrânia, Hungria, Macedônia, Argentina, Peru, México, Chile, Israel e em diversas cidades do Brasil. Foi fundador do coletivo, revista e editora Confraria do Vento. Em 2007, realizou uma performance suicida na cidade fantasma de Chernobyl; recebeu, em 2008, a Bolsa Fundação Biblioteca Nacional por seus ensaios sobre os subúrbios cariocas; esteve como poeta residente em Monsanto, Portugal, em 2009 (UC/CES); e deu aula de formação avançada em escrita criativa na Universidade de Coimbra.


 MARIO CARLÓN é doutor em Ciências Sociais pela Universidad de Buenos Aires e licenciado em História da Arte pela Universidad Nacional de Plata. É pesquisador do Instituto Gino Germani. Desde 2013, é presidente da ASAECA (Asociación Argentina de Estudios de Cine y Audiovisual). Publicou no Brasil Metatelevisão, linguajem e temporalidade (2012), entre outros.


MARCO AURÉLIO CREMASCO nasceu em Guaraci (PR) e reside em Campinas (SP). É autor das coletâneas de poemas VampisalesViola caipiraA criação (Prêmio Xerox - Livro Aberto), fromIndiana e As coisas de João Flores, do livro de contos Histórias prováveis e do romance Santo Reis da Luz Divina (Prêmio Sesc de Literatura e finalista do Jabuti).


MARCO POLO GUIMARÃES é jornalista e músico. Escreveu para o Diário da Noite, Diário de Pernambuco, Jornal do Commercio, Jornal da Tarde e revista Continente. Há cinquenta anos escrevendo poesia, publicou livros como Silêncio, Caligrafias e Corpointeiro. Como compositor e cantor, tem canções gravadas por Ney Matogrosso, Elba Ramalho, Teça Calazans, Zezé Motta, entre outros. Atualmente é superintendente de produção editorial da Companhia Editora de Pernambuco, Cepe.


MARIA FÉLIX FONTELE é jornalista e escritora. Foi secretária-adjunta e coordenadora de Comunicação Social do Governo do Distrito Federal, além de primeira coordenadora de Comunicação Social da Câmara Legislativa do DF. Atuou como repórter, chefe de reportagem, editora e colunista em diversos veículos de comunicação - entre eles Jornal de Brasília, Jornal do Brasil e Correio Braziliense - e em assessorias de imprensa. Editou revistas e publicações nacionais na área de gestão pública. Como escritora, participou de algumas antologias poéticas. Em 1992, venceu o Concurso de Poesia da revista Xicóatl, de Salzburgo (Áustria), com o poema Retrato.


MAYRA MARTINS REDIN nasceu em 1982 em Campinas, SP. Atualmente mora no Rio de Janeiro. É artista e psicóloga, atualmente faz doutorado em Artes na UERJ. Participou de algumas residências artísticas no Brasil e no exterior. Participou de exposições e também trabalha com publicações e ilustrações. Em sua trajetória artística se interessa por questões relacionadas à imagem e a palavra, pensando os limites entre o visível e o invisível, o registro e a memória, a intimidade e a troca.


 MIKE SULLIVAN nasceu em Itaocara, Rio de Janeiro, em 1979. Psicólogo e escritor, publicou os romances Retorno ao pó (2009), No vale de ossos secos (2011), Amor em tempos de solidão (2012) e Terapia das almas suicidas (2013). Corpo sepulcro recebeu Menção Honrosa no Concurso Nacional de Literatura Prêmio Cidade de Belo Horizonte 2013.


MOAB ACIOLI nasceu em Viçosa, Alagoas, em 1958, e hoje vive no Recife. É psiquiatra, professor e pesquisador da Universidade Católica de Pernambuco. Publicou o romance A sacerdotisa e o pecador, pela Confraria do Vento, em 2015. Perto das lonjuras é seu primeiro livro de poesia.


NIVALDO TENÓRIO nasceu em Garanhuns, Pernambuco, em 1970. É autor de Dias de febre na cabeça e um dos editores do fanzine de literatura u-Carbureto.


NUNO GONÇALVES nasceu em Recife, mas é cearense. É mestre em história pela UFC, tendo se graduado pela UECE, e doutor em Estudos Latino-americanos pela UNAM. Publicou os livros de poesia Cacos de CristoO sol e a maldiçãoCartas de navegação e o de prosa O canto das onças.


PAULA BERINSON nasceu no Recife. É bacharel em língua francesa e inglesa, com especialização em literatura brasileira. Atua como tradutora e revisora. Recebeu o prêmio Cidade do Recife, como ensaísta, e traduziu autores como Flora Tristan (As peregrinações de uma pária) e Madame Van Langendonck (Uma colônia no Brasil). Publicou o livro de poesia Para sempre azuis são os olhos de meu avô e, pela Confraria do Vento, o livro de contos Animal writer.


 PAULA GLENADEL é poeta, tradutora e ensaista. É autora dos livros A fábrica do feminino (2008), Quase uma arte (2005) e A vida espiralada (1999). Publicou os livros de crítica Nathalie Quintane por Paula Glenadel (2012) e O preço da poesia - pequena meditação em quatro tempos sobre valor e literatura (2011). Traduziu, entre outras, obra de Michel Deguy, Jacques Roubaud e Nathalie Quintane. Participou da representação brasileira no Festival Cultural Internacional Europalia (Bélgica, 2011).


PAULO BARJA é professor, músico e escritor. Desde 2008, participa de eventos literários com seus cordéis e livros, tendo recebido o Prêmio Mais de Literatura de Cordel (MinC, 2011). Atualmente, divide seu tempo entre docência universitária, pesquisa, oficinas de cordéis em escolas e atividades artísticas. Com mais de 70 cordéis e 8 livros publicados, sua produção inclui também artigos, fotopoemas e participações em antologias literárias.


PEDRO MOURA nasceu em Recife. Há oito anos reside em Londres, onde trabalha na editora Macmillan Publishers. Suas frequentes viagens de negócios serviram de inspiração à maioria dos contos que compõem O convidado, seu primeiro livro.


PLÁCIDO VILANOVA, reside em Itamaracá, ilha localizada no litoral norte do Estado de Pernambuco.


 RAFAEL MEDINA é advogado, professor e doutor em direito penal. Formado também em filosofia pela UERJ, este é seu primeiro livro de poemas.


REJANE GONÇALVES nasceu em Camocim de São Félix, Pernambuco e hoje vive em Olinda. Com formação em Letras, publicou alguns de seus contos em coletâneas. Em 2005, foi premiada no Concurso Osman Lins de Contos, da Prefeitura do Recife. Escrevo para dinossauros é seu primeiro livro.


RENATA PIMENTEL nasceu em Recife. Transita pela literatura, pela dança e pela dramaturgia. É professora de Literatura da UFRPE. Publicou Uma lavoura de insuspeitos frutos, em 2002, estudo sobre o romance Lavoura arcaica, de Raduan Nassar, Copi: transgressão e escrita transformista, em 2011, e Da arte de untar besouros, em 2012.


ROGÉRIO COVALESKI é Pós-doutor em Conteúdo de Marca (UPF Barcelona) e Doutor em Comunicação e Semiótica (PUC São Paulo). É professor do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco, um dos líderes do Grupo de Pesquisa Publicidade nas Novas Mídias e Narrativas de Consumo (PPGCOM/UFPE) e pesquisador Produtividade em Pesquisa do CNPq. Em 2013, publicou o livro Idiossincrasias publicitárias.


RONALDO ENTLER é pesquisador e crítico cultural. Mestre em Multimeios pelo IA-Unicamp e doutor em Artes pela ECA-USP, é professor de Teorias da Imagem da FAAP-SP e editor do site Icônica.


RONALDO FERRITO (Rio de Janeiro, 1982), poeta e ensaísta, publica com frequência em revistas eletrônicas e antologias no país. Autor d'A Via Excêntrica (Confraria 2010/ Axóuxere 2013, ensaios), livro com o qual ganhou a bolsa para escritores com obras em conclusão da FBN; e coautor do livro Convite a Pensar (Tempo Brasileiro 2014, ensaios). É membro fundador do coletivo artístico e editora Confraria do Vento e editor da Revista Confraria. Fez parte do júri de renomados concursos literários no Brasil, tais como Portugal Telecom e Luiz Vilela.


SAMARONE LIMA é jornalista e escritor. Nasceu no Crato, Ceará, e vive no Recife desde 1987. É autor dos livros jornalísticos Zé: José Carlos Novaes da Mata Machado - reportagem biográfica, Clamor - a vitória de uma conspiração brasileira  e Estuário - crônicas do Recife. Foi finalista do prêmio Jabuti com o livro-reportagem Viagem ao crepúsculo, em 2010, e com A praça azul & Tempo de vidro, de poesia, em 2013.


SÉRGIO BIVAR é escritor, presidente do Instituto Indigo, empreendedor cívico pela rede Raps, empresário e um dos idealizadores da corrente Livres. Publicou o livro de contos e poemas O outro lado do outro lado, em 2011.


SÉRGIO TAVARES nasceu em 1978. É jornalista e escritor, autor de Cavala (Record, 2010), vencedor do Prêmio Sesc Nacional de Literatura. Também foi premiado no Concurso Literário da Fundação Escola do Serviço Público (Fesp/RJ) e tem textos publicados, entre outros, nas revistas Cult, Arte e Letra: Estórias M, e no jornal Cândido. Atualmente mora em Niterói, Rio de Janeiro.


SIMONE AUBIN nasceu em Recife, onde estudou Letras na Universidade Federal de Pernambuco. Depois morou na França e fez mestrado e doutorado em Literatura na Université d'Angers. Sempre gostou de contar histórias para as crianças e jovens. Durante sua estadia na França, trabalhou em três escolas de ensino fundamental e médio e essa experiência inspirou seu primeiro livro de contos infantis intitulado Pena Azul e outras histórias (2012), publicado pela Editora Confraria do Vento. Também pela Confraria, em 2018, lançou o livro Mensagens da Casa do Pai, obra de cunho espiritual, em formato de cartas. A partir de 2016, começou a escrever a saga juvenil que nomeou Feiticeiros de Acbar, composta de cinco livros.


 SÔNIA BIERBARD “Sou uma eterna aprendiz, e a arte é meu jeito de existir." Entre seus inúmeros papéis, também é servidora do Judiciário pernambucano há 10 anos, atuando como Relações Públicas da Assessoria de Cerimonial do TJPE. Paulistana, atriz, estreou profissionalmente  com o espetáculo Esta Noite se Improvisa, de Pirandello. Outro projeto de Sônia, O Poesia ao Vivo, existe há 19 anos, unindo suas duas paixões: o teatro e a poesia. Ela escreveu a peça teatral O Fogo da Vida em coautoria com Gustavo Falcão e os livros de poesia Secreto EscândaloUma janela Vital (premiado em concurso literário nacional em 1995); Linguagem Submersa.


TADEU SARMENTO nasceu no Recife, em 1977. É autor dos livros Breves fraturas portáteis (Fina­-Flor, 2004), Paisagem com ideias fixas (Bartlebee, 2012), Cafuca (Confraria do Vento, 2016) e Associação Robert Walser para sósias anônimos, romance vencedor do II Prêmio Pernambuco de Literatura, em 2014, publicado em 2015 pela Cepe Editora. Em 2016, ganhou o Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura, com o livro de poemas Um carro capota na lua.


 

TANIA ALICE é doutora em Letras e Artes pela Universidade de Aix-Marseille, reside no Brasil há 6 anos. Trabalhou por vários anos como escritora, professora universitária da Universidade de Rennes I e II e jornalista cultural na França, onde nasceu. escreveu e dirigiu Um breve retrato da dor (dá pra sentir), inspirado no trabalho de performer Sophie Calle, SerOuNãoSer.com, em codireção com Aldo Marcozzi, dirigiu O amor de Fedra, de Sarah Kane, em codireção com Gilson Motta e atuou em Des vies à jamais e Esperando Godot.


 THALYNNI LAVOR é especialista em dança educacional e artes cênicas pela Faculdade São Fidelis, além de Juíza Federal. Autora de contos, fábulas, crônicas e poemas, venceu o X Concurso do Instituto Maximiano Campos, com o conto “Conversando com as estrelas”, em 2014. No mesmo ano, foi uma das autoras publicadas na antologia Cadinho de Prosa, da Carranca Cartonera.


THIAGO MATTOS nasceu em Petrópolis, Rio de Janeiro, e estudou cinema e letras na Universidade Federal Fluminense. Atualmente é professor de francês e tradutor, dedicando a maior parte do seu tempo à produção literária. Este é o seu primeiro livro de poemas.


TIBÉRIO AZUL nasceu em Recife em 1979. É formado em jornalismo pela Unicap e em publicidade e propaganda pela UFPE. Compositor, músico e poeta, fundou a banda Mula Manca & A Fabulosa Figura, com quem lançou dois discos em constante diálogo com a literatura: O circo da solidãoAmor e pastel. Em 2011, lançou carreira solo com o disco Bandarra ou o caminho que vai dar no sol. Este livro integra o projeto Líquido, que inclui o segundo disco Líquido ou a vida pede mais abraço que razão.


VALDA COLARES nasceu em Santa Luzia, Maranhão. É mestre em Ciências da Educação, pela Universitat Rovira i Virgili (Espanha) e pela Universidade do Porto (Portugal), pós-graduada em Docência em Escola de Tempo Integral e Capacitação Pedagógica, pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, e Licenciada em História pela Fundação de Ensino Superior de Olinda. É coautora do livro Magdalena Arraes - A Dama da História (Biografia). Atualmente é professora de História, Filosofia, Arte e Sociologia para o Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos do Serviço Social da Indústria, SESI/PE.


 VICTOR PAES nasceu no Rio de Janeiro em 1978. Editor, professor, ator e escritor, publicou os livros de contos Deus ex machina (2011) e Mas para todos os efeitos nada disso aconteceu (2010). Participou de diversas coletâneas, entre elas, Minigeschichten aus Brasilien (2013), de contos brasileiros, publicada na Alemanha, e Veredas: panorama do conto contemporâneo brasileiro (2013). O óbvio dos sábios é seu primeiro livro de poesia, publicado em 2007.


 VINICIUS F. BARTH nasceu em Curitiba em 1986. Mestre em Literatura pela UFPR, traduziu obras de Homero, García Lorca, Kaváfis e Alejandra Pizarnik, tendo sido um dos tradutores da primeira versão brasileira do Paraíso reconquistado, de John Milton. É editor-chefe da revista brasileira de arte e cultura R.Nott Magazine. Este é seu livro de estreia.


 YVANA FECHINE é jornalista e professora do Departamento de Comunicação Social e do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco. Publicou, entre outros, Televisão e Presença: uma abordagem semiótica da transmissão direta (2008). É pesquisadora associada ao Centro de Pesquisas Sociossemióticas (PUCSP) e ao Observatório Ibero-americano da Ficção Televisiva (OBITEL Brasil).


WEYDSON BARROS LEAL é poeta, dramaturgo e crítico de arte. Seu primeiro livro, O aedo, de 1988, recebeu o Prêmio Mauro Mota / Governo do Estado de Pernambuco e o Prêmio Othon Bezerra de Melo, da Academia Pernambucana de Letras. Publicou os livros de poesia Os círculos imprecisos (Massao Ohno, 1994), Os ritmos do fogo (Topbooks, 1999), com apresentação de Ivan Junqueira, A quarta cruz (Topbooks, 2009) e Os dias (Topbooks, 2014). Participou, em 1997, como poeta convidado, do VII Festival Internacional de Poesía de Medellín, na Colômbia. Como crítico de arte, publicou, entre outros, livros sobre Abelardo da Hora, Brennand, João Câmara e Samico, recebendo o Prêmio Jabuti 2012 por este último. Adaptou para o teatro obras de Kafka e Ibsen. Em 2006, foi indicado ao Prêmio Shell pela peça Caetana.


WELLINGTON DE MELO é escritor e professor. Publicou O diálogo das coisas (2007), [desvirtual provisório] (2008), O peso do medo - 30 poemas em fúria (2010) e O caçador de mariposas (2013).